67 solar

Showtec: área ocupada por soja em Mato Grosso do Sul deve crescer 22% em três anos, aponta estudo

Por Cidades na Web em 27/05/2022 às 21:19:13


A área ocupada por lavouras de soja tem apresentado crescimento contínuo em Mato Grosso do Sul nos últimos anos, passando de 2,98 milhões de hectares na safra 2018/2019 para 3,7 milhões de hectares na safra atual, aumento de 24%. E a previsão é de que, nos próximos três anos, esse processo seja acelerado e a cultura passe a ocupar 4,5 milhões de hectares, aponta estudo elaborado por técnicos Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) com base em dados coletados pelo Projeto SIGA/MS, o Sistema de Informação Agropecuária mantido pelo governo em parceria com as entidades da classe.O potencial de expansão da soja em Mato Grosso do Sul foi tema de palestra proferida pelo secretário Jaime Verruck, da Semagro (Secretaria de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar) na tarde dessa sexta-feira (27), na Showtec, a maior feira de agronegócios que acontece em Maracaju desde o dia 25. O secretário apresentou um panorama da produção atual de soja, fazendo uma retrospectiva com a área ocupada pela cultura há sete anos e apontando as perspectivas de crescimento.A soja é a principal cultura agrícola do Estado, ocupando área bem superior a do milho, que também tem apresentado um movimento crescente. A maioria das lavouras de soja está concentrada nas regiões Centro-Sul, Norte e Nordeste, com importante expansão ocorrendo na região Sudoeste do Estado. Na safra 2018/2019 foram plantados 2,98 milhões de hectares de soja e 2,17 milhões de hectares de milho. Na safra posterior (2019/2020) essas áreas já passaram para 3,39 milhões/ha (soja) e 1,89 milhões/ha (milho). No ano seguinte, novo aumento: 3,53 milhões/ha de soja e 2,0 milhões/ha de milho, e na safra atual (2021/2022), atinge a área de 3,70 milhões/ha de soja e 2,59 milhões/ha de milho.As projeções são de contínuo crescimento e com uma ligeira aceleração. Na próxima safra (2022/2023) a soja deve ocupar 3,9 milhões/ha, na safra 2023/2024 passar para 4,10 milhões/ha, na safra seguinte (2024/2025) já deve chegar a 4,3 milhões/ha e na safra 2025/2026 atingir a marca de 4,5 milhões/ha. O milho – que normalmente é cultivado na mesma área, só que em época diferente – apresentará crescimento similar: 2,73 mi/ha, 2,87 mi/ha, 3,10 mi/ha e 3,15 mi/ha.A soja ocupa, atualmente, o topo do ranking de exportação de Mato Grosso do Sul, ultrapassando temporariamente a celulose. Isso se deve, naturalmente, ao fato de ter acabado há pouco a colheita do grão e os produtores estão comercializando sua produção nesse momento. Os principais destinos da soja sul-mato-grossense são a China, Bangladesh, Tailândia, Argentina, Vietnam, Paquistão e Coreia do Sul.O secretário apontou, ainda, os principais desafios que o Estado e os produtores devem enfrentar para concretizar esse crescimento da produção de soja. Quanto à exportação: o problema da sazonalidade, capacidade de armazenagem e disponibilidade de crédito; com relação ao destino: a China é a principal parceira comercial atual, porém prefere a matéria prima, enquanto o Estado caminha para, gradativamente, processar e agregar mais valor a sua produção.João Prestes, SemagroddestFotos: Kelly Venturini, Semagro

Fonte: DA HORA BATAGUASSU

Tags:   Agricultura
Comunicar erro
anuncie

Comentários